Destinos imperdíveis com câmbio favorável

Algo que muitas turistas estão optando nestes tempos de cotação do dólar em alta é buscar novos roteiros de viagens, onde mesmo usando a moeda norte-americana, o custo diário é mais baixo do destinos tradicionais. E existem lugares belíssimos a serem visitados, com praias, cultura, história e roteiros fantásticos! As opções são diversas e atendem ao perfil de inúmero viajantes. Nós separamos alguns desses destinos.

Bali – Indonésia

O maior gasto que você terá será na compra das passagens (em média R$ 4.399), mas ao chegar lá o custo de vida é baixo. Em média, você gastará cerca de R$ 88 por dia para se alimentar, transporte, etc. As atrações turísticas, de uma beleza ímpar, têm preços convidativos, e a grande maioria são gratuitas. São praias e paisagens, formadas pelas plantações de arroz que, além de diferentes, não exigem ingressos. Os hotéis também têm um custo que compensam o valor mais alto da passagem, sendo possível encontrar hospedagens de quatro, e até cinco estrelas, por valores próximos a R$ 130 a diária.

Lima – Peru

Destino tão próximo e por vezes tão esquecido pelos viajantes brasileiros, Lima é uma das mais belas cidades da América do Sul. Paisagens e um rico passado colonial pronto para ser visitado e curtido com um custo diário de aproximadamente R$ 80. A passagem de ida e volta partindo de São Paulo pode ser comprada em média por R$ 1,5 mil. Para se ter uma ideia, uma jantar em um bom restaurante pode ser degustado em média por R$ 25, e para quem viaja sozinho, uma diária em um albergue custa em torno de R$ 30. Já um apartamento no bairro de Miraflores, o mais badalado, com uma excelente noite, parques e muitos restaurantes, sai por volta de R$ 140 a diária e acomoda até quatro pessoas.

Cracóvia – Polônia

Cracóvia é uma das opções mais baratas do Leste Europeu e o viajante gastará em média R$ 70 por dia. O custo do voo ida e volta é de cerca de R$ 3,9 mil (podendo diminuir em períodos de promoção em baixa temporada). Mesmo sendo uma cidade histórica, com belezas e atrações em cada canto e viela, o custo de vida por lá é muito baixo. Hotéis, muitos destes quatro ou cinco estrelas, podem ser reservados por aproximadamente R$ 170 a diária. Os gastos com transporte e alimentação também valem a pena. De acordo com o índice Big Mac, da revista The Economist, o famoso sanduíche é vendido por US$ 2,48, enquanto no Brasil o mesmo lanche sai por US$ 5,48.

Cairo – Egito

Um dos berços da civilização, o Egito é muito mais que suas pirâmides, trazendo uma rica história e um verdadeiro arsenal de cores e sabores para quem estiver afim de conhecer a cultura local. E tudo isso com um custo médio de R$ 56 ao dia. Os voos partindo de São Paulo saem em torno de R$ 3,5 mil, mas todo o resto é barato, desde a hospedagem em bons hotéis, até o transporte e a alimentação. Só para falar das principais atrações da cidade, para entrar na pirâmide de Khafre o custo é de cerca de R$ 10, e a entrada no Platô de Gizé, que inclui a visita as três grandes pirâmides e as sete tumbas dos antigos imperadores, custa por volta de R$ 20.

São Petesburgo – Rússia

Além de ser a cidade onde estão ambientados grandes histórias de escritores clássicos como Dostoievski, São Petesburgo é considerada a capital cultural da Rússia. O preço médio das passagens de ida e volta gira em torno de R$ 4.200, porém, o custo diário da viagem gira em torno de R$ 70. É um lugar onde a alimentação é barata (jantares custam em média R$ 20), e com atrações turísticas lindas, todas com custo inferior a R$ 35. Para se ter uma ideia, a entrada no Museu Hermitage, um dos mais completos do mundo em arte ocidental, custa R$ 25 em média. O transporte também é eficiente e barato: o tíquete do metrô, que dá direito a dez viagens, custa em torno de R$ 18.

Curaçao – Caribe

Aqui o custo diário é um pouco mais alto, R$ 183 em média, mas como estamos falando do Caribe, com suas praias exuberantes, comidas típicas e muitas atrações históricas e noturnas, vale a pena investir. Para chegar a ilha existem voos saindo de São Paulo com custo de R$ 2,2 mil a ida e a volta (em baixa temporada esse custo pode cair para R$ 1,2 mil em algumas promoções). Como as praias e o centro histórico podem ser visitados a pé, os custos se resumem praticamente às diárias dos hotéis, pois a maioria também já oferece a alimentação completa em suas dependências. A viagem fica mais cara apenas se o turista optar por alguns passeios, como mergulho, por exemplo.

Claro que essas são apenas algumas indicações e o custo vai sempre depender do perfil de viagem que você deseja fazer. Mas uma coisa é certa: levar a moeda do país de destino é sempre a melhor opção. Evite fazer o câmbio de real para dólar e depois para a moeda local. Lembre-se que em qualquer operação desse tipo sempre há perdas. E conte com o Supercâmbio para lhe ajudar: a moeda certa para sua viagem e as melhores casas de câmbio só com a gente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami