Os vinhedos e a história da Geórgia nos caminhos de Beto Conte

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Beto Conte, do STB Trip & Travel, que desvenda seu 131º país nos envia o seu relato diretamente da Geórgia, pequeno país de 70 mil km² com apenas 4,5 milhões de habitantes, no Cáucaso – ponto de encontro da Europa com a Ásia, entre o mar Negro e o Cáspio.

A viagem à Geórgia começou por Kakheti, de renomados vinhedos com quase 500 cepas nativas como a Saperavi e Mtsvane. Uma das regiões mais antigas da vitivinicultura do mundo onde foram encontrados cálices de cerâmica de 5.000 anos com sementes de uva branca Rkatsiteli, havendo indícios de que a tradição remonta há 7.000 anos.

Em Sighnaghi, um dos cenários mais bonitos do mundo, com sua cidadela cercada por muralhas, o casario conta com balcões de madeira abrigando charmosos restaurantes, antiquários e enotecas. Complementa o ambiente a simpatia do povo, a boa gastronomia e alguns dos mais antigos vinhedos do planeta. Do alto da colina da cidadela se desenvolve o povoado com igrejas e torreões, com vistas para um fértil vale com montanhas ao fundo. Este conjunto por si só já seria cênico o suficiente. Aliado a isso uma terra com longas tradições e história.

A Geórgia foi o segundo reino a adotar o cristianismo, já no século IV, e em um belo mosteiro nos arredores da cidade abriga a tumba da Santa Nino, que introduziu a nova fé na região. O idioma Georgiano é único, não pertencendo a nenhuma das grandes famílias de línguas, bem como sua escrita que é própria. A historia da Geórgia remonta mais de 2.500 anos, que, pela sua localização estratégica e privilegiada na Eurásia foi disputada por persas, romanos, bizantinos, árabes, mongóis e turcos.

Seu auge foi na Idade Média como um reino independente nos séculos XI e XII, com o rei David, o construtor, e a rainha Tamar, os mais celebres governantes georgianos. A estada na tranquila Sighnaghi faz o visitante viajar ao tempo desse reino perdido nas montanhas do Cáucaso. Após um longo período de dominação russa, que vem desde o século XVI, passando pela União Soviética e pela queda do governo comunista, em 1991, o país finalmente conquistou sua independência.

Moeda
A moeda da Geórgia é o Lari, e é a única moeda aceita na maioria dos locais do país. O indicado é sair do Brasil com Euros e converter pela moeda local na chegada ao país, ainda no aeroporto.

Confira mais imagens no http://wp.clicrbs.com.br/betonomundo

Saiba mais sobre a Georgia:
Área: 69.700 km²
Capital: Tbilisi
Localização: leste da Europa
Principais cidades: Tbilisi, Kutaisi, Zugdidi, Batumi, Rustavi e Sokhumi.
Composição da população: georgianos (70%), armênios (8%), russos (6%), azeris (6%), ossetianos (3%), abecazes (2%), outros (5%).
Idioma: georgiano (oficial)
Religião: cristianismo (64%), islamismo (19%), sem religião (13%), ateísmo (3%), outras (1%).
Moeda: Lari (símbolo ლ)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami