Entenda a diferença do dólar comercial, dólar turismo e dólar paralelo

Existe um único mercado de câmbio legal no País, regido conforme as regras do Banco Central (BC). As terminologias câmbio comercial (ou dólar comercial) e câmbio turismo (ou dólar turismo) são utilizadas pelo mercado para indicar as diferentes taxas praticadas de acordo com a natureza da operação.

 O Brasil adotou tipos diferentes de classificação do dólar porque o País pratica, desde 1999, o regime de câmbio flexível, ou, flutuante, em que a cotação oscila em função da oferta e da demanda no mercado, podendo ser negociada livremente por quem vende e por quem compra. A grosso modo, nesse regime, a cotação do dólar é definida pela lei da oferta e da demanda. Ou seja, quanto maior a procura, mais chances de valorização da moeda.

Você sabe qual a diferença entre câmbio comercial e turismo?

O dólar comercial é utilizado pelas empresas e bancos para negócios de importação, exportação, transferências financeiras no exterior, entre outras transações. Quando o governo faz transação no exterior, também utiliza essa cotação. As transações do dólar comercial são apenas em contratos, de forma eletrônica. Muitas vezes, para segurara taxa, o Banco Central compra e vende dólares. Esse movimento é o que normalmente acompanhamos através do noticiário. Também é essa cotação que é divulgada nos “fechamentos” do câmbio.

Já o dólar turismo é câmbio do consumidor final, da pessoa física que vai para o exterior e precisa comprar moeda estrangeira. É essa a cotação que você encontra na Supercâmbio  e nas casas de câmbio em geral para compra de moeda estrangeira.

A cotação do dólar turismo é um pouco mais alta do que o dólar comercial pois leva em consideração custos financeiros e administrativos, como manutenção de notas em espécie, transporte e Seguro. Esta diferença entre o dólar comercial e o dólar turismo é o que se chama de SPREAD.

E o dólar paralelo?

Bom, essa transação corre por conta e risco do comprador. Trata-se de um mercado ilegal, sem supervisão do Banco Central. Além de estar fazendo algo ilegal, você fica exposto a compra de moedas falsas e, pasmem, nem sempre a taxa no paralelo é mais barata.

Vale lembrar que todas as compras de moeda estrangeira em espécie tem incidência de IOF de 1,1%, enquanto que no cartão de crédito e nos cartões pré-pagos o IOF é de 6,38%. Pode parecer pouco, mas vale lembrar que a cada mil dólares em papel moeda você paga 11 dólares de IOF. Se a compra for realizada no cartão de crédito ou no cartão pré-pago, para os mesmos mil dólares, você irá pagar 63,80 dólares de IOF.

Na Supercâmbio é possível acompanhar online a movimentação das taxas ao longo do dia. Se preferir, você pode cadastrar a cotação que deseja comprar na nossa ferramenta Taxa-Alvo . Com ela, você indica por qual valor deseja comprar a moeda estrangeira e a data limite para compra. Quando a cotação chegar ao estipulado, nós te avisamos. Daí é só realizar a transação com toda a segurança, sem sair de casa.

*          A Supercâmbio é primeiro portal online de comparação de taxas de câmbio e compra de moedas estrangeiras do Brasil. No site, o cliente pesquisa a cotação do câmbio de hoje nas melhores casas de câmbio e concluiu seu pedido sem sair de casa. Entre as opções estão dólar, euro, pesos e outras 15 moedas de diferentes países. O pagamento é feito diretamente para a empresa escolhida e a moeda é retirada na loja selecionada ou, se a opção for delivery, a entrega é feita no local indicado.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami