6 Fatores para levar em conta ao escolher o melhor seguro viagem

Após entendermos a importância do seguro viagem e a segurança que ele trará para nosso passeio, muitas dúvidas surgem sobre qual o melhor seguro viagem para você e o que se deve levar em consideração na hora da contratação.

Separamos neste artigo alguns dos principais pontos, aqueles que você não pode deixar de considerar enquanto estiver pesquisando as opções de planos de seguro disponíveis no mercado. Como as alternativas são muitas, é difícil até saber por onde começar. Trazemos algumas dicas que vão ajudar na organização da pesquisa.

Mas, precisamos relembrar: apesar de ninguém gostar de pensar no que pode dar errado, é preciso estar prevenido para diversos imprevistos que podem ocorrer em uma viagem, que vão muito além de emergências médicas e que também podem trazer uma grande dor de cabeça.

O seguro viagem é igual aos outros tipos?

NÃO. O seguro viagem é diferente de um seguro saúde ou de um seguro de imóvel, por exemplo. Ele é feito especialmente para um evento, a sua viagem, e inclui coberturas para várias situações.

Dependendo do seu destino e do tipo de viagem prevista, o seguro pode cobrir diferentes situações. Os riscos de um mochilão pela Ásia são bem diferentes de um mochilão pela Europa, assim como são diferentes de uma viagem para esquiar nos Alpes ou de um safári na África.

Além dos destinos, o seguro viagem também cobre muito mais do que apenas emergências médicas, como um plano de saúde. Ele pode incluir situações de deslocamento, como cancelamento e reagendamento de voos, extravio de bagagem, acidentes no destino, roubos e extravio de eletrônicos ou de documentos, retorno antecipado por diversos motivos e muito mais.

São inúmeras variáveis que diferenciam o seguro viagem e evidenciam sua importância. Confira abaixo 6 fatores que você deve levar em conta na hora de escolher a melhor opção:

1 – O destino e o tipo de viagem

São diversos os fatores que podem exigir um ou outro tipo de cobertura. O destino e o tipo de viagem são alguns deles que vamos comentar neste post.

O primeiro é a obrigatoriedade do seguro viagem para entrar ou permanecer em alguns países. O maior exemplo são os 26 países europeus signatários do Tratado de Schengen, que autoriza a livre circulação de pessoas entre seus territórios. Alguns dos países participantes são famosos destinos turísticos como França, Espanha, Itália e Alemanha.

Saiba mais detalhes sobre as regras do seguro viagem nestes países aqui. 

Já em países como os Estados Unidos, o seguro viagem não é obrigatório pelo governo, porém qualquer imprevisto médico lá pode custar muito caro e causar um grande transtorno. Por não ter sistema público de saúde no país, não há como fugir dos gastos, que podem chegar a 50 mil dólares em uma internação. A melhor estratégia é ir visitar a terra do Tio Sam com uma cobertura ampla, e curtir o passeio com tranquilidade.

Já se a viagem for para trabalho por longos períodos ou estudos, alguns países pedem outros tipos de cobertura de seguro viagem, que são mais amplas tanto nos incidentes que cobrem, quanto no valor da cobertura e duração do seguro.

2 – Coberturas imprescindíveis e adicionais

Antes de fechar um contrato com a seguradora, observe e estude bem quais são as coberturas básicas do plano e quais podem ser adicionadas. Não existe uma cobertura padrão, porém uma medida do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) e determinada pela Susep, torna obrigatória as seguintes coberturas:

  • Despesas médicas, hospitalares e/ou odontológicas em viagem ao exterior (DMHO em viagem ao exterior);
  • Traslado de corpo;
  • Regresso sanitário;
  • Traslado Médico.

Uma série de situações podem ser incluídas como coberturas adicionais. Para decidir, você pode levar em conta o tipo de viagem, a duração e as condições do destino. Confira alguns exemplos:

  • Extravio de bagagem;
  • Atraso de bagagem;
  • Danos à mala;
  • Roubo de bagagem em táxi, hotéis, transporte público ou parques;
  • Roubo, furto ou quebra acidental de laptop corporativo;
  • Perda ou roubo de cartão de crédito em viagem internacional;
  • Despesas com funeral;
  • Cancelamento de viagem;
  • Regresso antecipado;
  • Despesas extraordinárias por permanência forçada;
  • Assistência na localização da bagagem;
  • Transmissão de mensagem urgente;
  • Coordenação de repatriamento de menor;
  • Entre outras.

Saiba mais detalhes sobre os tipos de cobertura neste post.

 

3 – Procedimentos e atendimentos em casos de urgência

As seguradoras costumam ter telefones disponíveis em sua apólice com orientações, muitas vezes aceitando ligações a cobrar do exterior e com atendimento 24 horas, em português.

Ao pedir reembolso após o retorno de sua viagem, lembre-se de guardar todos os recibos e documentos de seu atendimento e despesas no exterior, como notas e comprovantes. Se tiver que permanecer no local de atendimento após a data final estipulada no contrato, em caso de internações, por exemplo, geralmente o período é estendido automaticamente, mas o limite da cobertura irá respeitar o estipulado no contrato. Por isso, tire todas estas dúvidas antes da contratação e leia atentamente todas as cláusulas do contrato, antes de assiná-lo.

4 – Limite de cobertura em despesas médicas

Esse é um dos itens mais importantes do contrato, pois ele pode colocar o viajante em uma fria, achando que está protegido, porém não está completamente. Existem planos de diversos valores de cobertura, indo de U$ 15 mil até U$ 500 mil. Dependendo do destino, o ideal é não contratar uma cobertura muito baixa pois, em caso de algum imprevisto mais grave, você terá de desembolsar o valor acima do limite da apólice.

Nos países em que o seguro viagem é obrigatório, existe um limite exigido. Confira neste post sobre a obrigatoriedade do item em todo o mundo as condições de cada local.

5 – Preços e custos extras

A variação de preço de uma apólice de seguro viagem pode ocorrer em decorrência da duração da viagem, do número de viajantes, do tipo de coberturas inclusas (se forem incluídas coberturas adicionais e de fatores de risco ou não, como para esportes radicais), do destino ou da modalidade da viagem (lazer, negócios ou estudos).

6 – Onde contratar o seguro viagem?

A Supercâmbio, plataforma já conhecida por proporcionar a comparação de taxas de câmbio entre várias empresas, também oferece opção de seguro viagem. Quem vai para o exterior já pode comprar a moeda estrangeira e o seguro viagem no mesmo local.

Você pode cotar os planos de acordo com o país de destino, quantidade de viajantes e duração da viagem. Após a pesquisa, são apresentadas algumas opções de seguro viagem, com diversas coberturas, para que você escolha a que melhor se enquadrar em suas necessidades.

 

Faça uma cotação agora mesmo:

Bitnami